domingo, 19 de abril de 2015

A LÓGICA ILÓGICA


"Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus." (1 Coríntios 1.18)


Para as antigas civilizações, era lógico que o sol e a lua andavam ao redor da Terra. Afinal, ambos apareciam num extremo do horizonte para desaparecer no outro extremo.
Para uma criança de três anos, é lógico que o seu pai é o homem mais inteligente, forte e rico do mundo.
Essa “lógica” se dá pelo fato de que os antigos não conheciam o cosmos como nós o conhecemos. A criança, por sua vez, aos três anos, tem como contato adulto masculino basicamente o seu pai.
Para um cego de nascença, não há lógica em você tentar explicar um semáforo, pois ele nunca viu cores, e nem a quem não tem papilas gustativas haverá lógica em explicar a diferença entre o doce o salgado.
Vemos, então, que somente podemos encontrar lógica naquilo que conhecemos.
Por isso, somente pode encontrar lógica em Deus quem o conhece. Uma pessoa que nunca teve um encontro com Deus não poderá encontrar lógica em Deus. O próprio Deus reconhece isso em sua palavra ao dizer que “as coisas do Espírito de Deus parecem loucura ao homem natural, pois elas se discernem espiritualmente” (1 Co 2.14).
Esse salto para o conhecimento das coisas de Deus chama-se fé. Quando cremos e temos um encontro com Deus, tudo passa a fazer sentido. O ilógico vira lógico. O apóstolo Paulo, por isso, proclama que o evangelho “é loucura para os que perecem, mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus” (1 1.18)
Experimente o salto da fé, e descubra Deus, seu poder e sua lógica.
Autor: Pr. Humberto Schimitt Vieira



Precisando de um Ombro Amigo?
Ligue ou visite-nos: (51) 3931.6001 - Av. Farrapos, 312
Porto Alegre/RS - Próximo à Rodoviária

domingo, 28 de dezembro de 2014

É FANTÁSTICO

"Ao Senhor, nosso Deus, pertencem a misericórdia, e o perdão;" (Daniel 9.9)
Hoje vou contar algo fantástico que, há pouco tempo, ocorreu com dois membros de nossa igreja.
O James, membro da Restauração na Vila Jardim, em Porto Alegre, tinha um irmão de 24 anos que foi brutalmente assassinado com doze tiros.
Ao ver o corpo do irmão, um ódio mortal pelo assassino brotou no coração do James. A vontade que tinha era de matá-lo.
Um dia, o Evangelista Alexandre, pastor da Restauração na Vila Bom Jesus, em Porto Alegre, noticiou-lhe que Luciano, o matador de seu irmão, havia se convertido e estava frequentando a igreja.
Aquilo era demais. James chegou em casa e falou a sua sogra: “Isso eu não aguento. A Bíblia diz que temos que amar, mas eu nunca vou conseguir amar este homem”. Porém, passou a pedir que Deus lhe desse forças para perdoar.
Então, foi convidado para cantar na congregação da Bom Jesus. Justamente nesse dia, quem estava dirigindo o culto era o Luciano. Entrou na igreja e, de repente, algo aconteceu. A força de Deus tomou conta do James, que, olhando fixamente nos olhos do Luciano, subiu no púlpito e, em lágrimas, o abraçou.
O Luciano também começou a chorar pedindo perdão. O James, tomado pelo Espírito Santo de Deus, só dizia que já o havia perdoado e que, agora, o amava.
“Caiu um fardo das minhas costas” - diz, hoje, um aliviado James.
A transformação interior do homem: isso, para mim, é que é fantástico. E o mais fantástico é que está disponível para todos aqueles que, como o James e o Luciano, decidirem se voltar para Cristo.

Autor: 
Pr. Humberto Schimitt Vieira

Fonte: http://www.anaschimitt.com.br/pastorhumberto.com/?bdate=201411

segunda-feira, 21 de julho de 2014

SALMOS DE DAVI



Observamos que os salmos, principalmente os escritos por Davi, expressam vários momentos que este homem viveu. O que observamos é que Davi de forma alguma tenta encobrir seus sentimentos ou qualquer coisa que pudesse macular ou prejudicar sua imagem. Ele não faz uma oração protocolar e parcial. Por isso que suas orações terminam em agradecimento e louvor a Deus. Pois mesmo antes que Deus atendesse a oração dele, tinha total confiança no Deus a quem ele servia, mesmo não vindo a resposta no tempo esperado. E mesmo quando a reposta não vinha, a quem Davi reclamava? A Deus, entre pedidos, suplicas, gratidão e louvores. Nos momentos de tristeza e de alegria, de doença e de plena saúde, de cansaço e de vigor, de guerra e de paz!
Esse era o diferencial de Davi: Ele não louvava a Deus quando recebia de fato a bênção, quando tudo ia bem ou quando a resposta de sua oração vinha de forma que solucionasse o seu problema. Não! Ele louvava a Deus incondicionalmente, respondendo ou não Deus, por revelação e por fé, já agradecia pela petição ouvida. Ele tinha certeza de que Deus estava ali, perto dele, ainda que se sentisse só, em meio às trevas, seu espírito mantinha contato com o Senhor.

Quantas vezes nós condicionamos o louvor a Deus com as soluções de nossos problemas? Nosso louvor a Deus tem que estar condicionado a uma revelação espiritual, sabendo que mesmo antes de nós pedirmos alguma coisa, Deus já tem ouvido. Devemos ser gratos a Deus e louvá-Lo por fé e não por conveniência!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

DAVI DESCANSA

E aconteceu que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem à guerra, enviou Davi a Joabe, e com ele os seus servos, e a todo o Israel; e eles destruíram os filhos de Amom, e cercaram a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém. (grifamos). 2 Samuel 11:1

Aconteceu que, no decurso de um ano, no tempo em que os reis costumam sair para a guerra, Joabe levou o exército, e destruiu a terra dos filhos de Amom, e veio, e cercou a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém; e Joabe feriu a Rabá, e a destruiu. (grifamos).       1 Crônicas 20:1

Porém:
conj. adversativa. Inicia ou encerra uma oração ou um período cujo teor indica uma oposição ou restringe o que foi proferido anteriormente - mas, contudo, todavia, apesar disso, não obstante.

Observa-se que ambos os registros antecedem dois tropeços de Davi: O primeiro no caso de Bate-Seba - mulher de Urias - e o segundo, no Levantamento do Senso.
Deus não estava interessado, nesses registros, em denegrir a imagem de Davi, mas de mostrar o perigo do crente em descuidar-se após sucessivas vitórias ou simplesmente em momentos de conforto espiritual.

Com base na segunda passagem, poder-se-ia argumentar que Davi não foi à guerra porque já era muito velho e sem condições de pelejar com seus irmãos.  Entrementes, na primeira passagem supratranscrita Davi não titubeou em tomar a mulher do próximo. Diante desta ação pecaminosa de Davi pode-se afirmar que ele não estava tão sem vigor assim, pois além de se deitar com Bete-Seba, gerou um filho com ela.

Davi havia ganhado todas as batalhas de Deus. Seus valentes eram os melhoras da época. Seu reino havia subjugado os demais. Ele havia chegado no ápice de seu reinado.

Em uma guerra qualquer descuido pode ser fatal. Davi não estava envolvido somente em uma guerra física, mas espiritual. Ele era uma peça chave no quebra-cabeça de Deus no seu projeto de salvação para o homem. Por isso, é preciso vigilância, mesmo quando tudo parece tranquilo e dominado, no mundo espiritual.

sábado, 30 de julho de 2011

Uma Carta Para Um Ateu


Prezado Ateu,

Se você tentar entender a Bíblia com a sua razão, não irá compreendê-la, pois a mesma afirma que é impossível que o homem natural compreenda a Verdade.

Quanto às acusações de que a Bíblia é sanguinária, você precisa estudar a história do povo judeu, de como esse povo vivia e como sofreu na mão dos outros povos, para depois dizer que "isso ou aquilo" é um absurdo, ou uma "injustiça" do Deus que você não acredita. Ora, se você não acredita em Deus, não pode acusá-Lo, não é verdade? Se Deus não existe, como você pode fundamentar sua tese de que Ele não existe, de que é uma invenção do homem, uma fábula? Então todas essas "atrocidades" são inventadas pelos homens, eles são totalmente culpados e não "Deus", que não existe, claro. E, se o homem inventou "Deus", logo, as atrocidades escritas na Bíblia são também invenções. E, se são invenções, não há atrocidades.... O raciocínio lógico leva a essa conclusão e, você, se contradiz em sua própria crítica.

Se você não nascer de novo, nunca poderá ter a vida eterna, nunca verá a glória de Deus. Se você não evoluir do plano natural, racional, para o plano espiritual, nunca poderá compreender a verdade. Sabe qual é o maior problema do homem? É não reconhecer seus erros e se voltar Deus humildemente, admitindo que é apenas uma fagulha diante do universo que Deus criou.

Concluindo, se você pensar que sua vida se limita a este sistema terrenal - ignorando que depois da morte terá que prestar contas de todos os seus atos enquanto em vida - será o mais miserável entre os homens. Infelizmente, a maioria dos homens só descobrirão a realidade da eternidade quanto entrarem nela, e, verão o quanto foram insanos em relação ao seu futuro. Está preparado para deixar este mundo? O que vai encontrar do outro lado?

Deus lhe abençoe!


Att,


Moisés.

terça-feira, 22 de março de 2011

ADORAÇÃO?

Tem um ditado que diz: Uma mentira dita muitas vezes torna-se verdade. Então podemos usar outro ditado: Uma música mundana muitas vezes cantada no meio evangélico torna-se um louvor a Deus, uma "adoração". Mentir é muito feio, e até condenamos isso. Não admitimos a mentira em nosso meio, porém, se colocarmos uma melodia nela, aceitamos sem nenhuma restrição. Digo isso, no meio evangélico.
Eu tenho algumas indagações: Por que alguns crentes, apesar de condenarem a luxúria, a vaidade, a mentira e a fama, contribuem tanto com estes cantores mundanos? Vale a pena comprar os CDs deles e cantar suas músicas? Apesar deles serem carnais, as músicas são espirituais? Até onde estas músicas deixam de ser espirituais? Qual o limite? Devemos pesquisar a origem da música e letra? E se após cantarmos um bom tempo um "louvor" e descobrirmos que ele tem uma origem diabólica? E se mesmo que venhamos descobrir que um "hino" (para nós, porém para os liberais é canção) tem origem demoníaca? Porém, todo mundo canta, e, além disso, é muito lindo e se nós cantarmos e fizermos dele um hino congregacional? Assim o tornaria mais aceitável? O Espírito Santo sempre me alerta a respeito, mas algumas vezes sou levado pela emoção e eu luto com isso... Sempre oro ao Senhor para eu não ser levado pela emoção. Também sei que o homem tem emoções e a música é um fator influenciador nesse aspecto. Graças a Deus, existem alguns hinos antigos, que para mim são mais atuais do que nunca. Deus me ensinou uma coisa, usar a Palavra dEle para ver se esse ou aquele hino é espiritual ou não. Com a ajuda do Espírito Santo, é claro.